O Mato Grosso todo lê!

Sábado, 13 de agosto de 2022
MENU

Economia

Cerca de 50 postos de combustíveis na Grande Cuiabá são notificados para justificar eventual aumento de preço

Com a oscilação dos preços nas últimas semanas, houve uma fiscalização sobre o aumento do preço do etanol, que deveria ter caído.

Publicidade
Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Cerca de 50 postos de combustíveis em Cuiabá e Várzea Grande, na região metropolitana da capital, foram notificados para justificar o aumento de preço. De acordo com o Procon, a redução do preço nas refinarias tem que ser repassada aos consumidores nos postos de combustíveis.

Nas últimas semanas, os postos de combustíveis de Cuiabá estão registrando oscilação nos preços do etanol e da gasolina.

Nessa instabilidade, os consumidores questionam o valor do etanol. Nos últimos dois dias, o litro teve um aumento de R$ 40 em Cuiabá. Em alguns postos, esse aumento foi visto de um dia para o outro.

Segundo a Agência Nacional do Petróleo (ANP), em uma análise feita em 72 postos, o preço médio do etanol em Cuiabá é de R$ 3,77. O menor preço foi registrado a R$ 3,55 o litro e o maior a R$ 4,49.

Já o preço da gasolina foi verificado em 73 postos de combustíveis. Segundo o levantamento, o menor preço encontrado era de R$ 5,37 e o maior, de R$ 6,75 o litro. Na média, o valor ficou em R$ 5,89 o litro.

De acordo com o coordenador de Fiscalização do Procon, Ivo Vinícius Firmo, esse monitoramento já está sendo feito.

"Desde o anúncio da queda dos preços, no começo de julho, está sendo feito o monitoramento de postos em Cuiabá e Várzea Grande. Aqui já foram aproximadamente 50 postos notificados para que justifiquem um eventual aumento do preço dos combustíveis e reduzam no percentual esperado", disse

Ainda segundo o coordenador, o mercado é livre, mas os preços não podem ser abusivos, senão o posto é autuado.

"É importante salientar que o mercado de combustíveis, o preço no posto é livre, só que não pode ocorrer abusos então a elevação de preços deve se dar com a justa causa. Se há algum tipo de aumento ele deve ter justificativa", disse.

Redução da Petrobrás

Houve o corte de impostos federais e da redução de alíquotas do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

Além do anúncio da Petrobrás, nessa quarta-feira (20), sobre a primeira queda no preço do litro da gasolina desde dezembro do ano passado. Nas refinarias a redução é de R$ 0,20.

O valor do litro passará de R$ 4,06 para R$ 3,86 por litro. Os preços cobrados nos demais combustíveis não serão alterados.

No último ajuste, anunciado pela Petrobras em junho, o preço médio de venda de gasolina havia subido de R$ 3,86 para R$ 4,06 por litro (alta de 5,18%).

Os preços de venda de combustíveis às refinarias pela Petrobras são um dos fatores de composição do preço final dos combustíveis, junto com impostos e fatia de distribuidoras e revendedores.

Fonte/Créditos: TV Centro América

Créditos (Imagem de capa): Postos de combustíveis podem ser autuados, caso o preço seja abusivo — Foto: Gcom-MT

Comentários:

Publicidade
Publicidade

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!